domingo, 25 de outubro de 2009

Nem a mística resolve...

A vontade de vencer aliada a gritante diferença técnica, construiram o resultado do clássico de hoje em pleno alçapão da Vila Belmiro.



O SANTOS começou melhor o jogo, apesar de ter apenas o menino André como atacante de ofício, conseguindo levar perigo à defesa rival com o Felipe Azevedo caindo pela direita.

E logo aos seis minutos, em escanteio cobrado por Mádson, Rodrigo Souto em um momento de esforço, conseguiu cabecear pra trás e achar André, que entre 3 zagueiros cabeceou e abriu o marcador na Vila Belmiro, fazendo seu segundo gol como profissional.

Hernanes empata aos 12

O SANTOS continua o ritmo dando a impressão que o gol estava por vir e veio, aos 26 minutos em outra cobrança de escanteio do mesmo Mádson, para o mesmo Rodrigo Souto no mesmo primeiro pau, o rival aceita, só que dessa vez Rodrigo Souto cabeceou lindamente para a meta do goleiro que estava completamente vendido no lance, que quando percebeu a burrada já viu a bola balançando sua rede.

E mais uma vez o SANTOS permite o empate, num escanteio a zaga alvinegra não corta e a bola sobra para o atacante adversário que chuta meio sem-jeito em cima de Felipe mas esse rebate pra dentro do gol.

Começa o segundo tempo totalmente diferente do primeiro, agora quem busca a iniciativa da partida é o time do São Paulo, com jogadas rápidas e toques de primeira envolvem a defesa do Peixe.

Dagoberto já não guardava mais posição, com Hernanes e Jorge Vágner ganhando todas no meio campo, exploravam as avenidas Pará e Triguinho.

Aos 14 minutos, Jorge Vágner desempata o jogo para o time da capital.

Aos 18 minutos, Luxemburgo faz duas alterações, entra Róbson no lugar de Mádson e Jean faz sua estréia com a camisa alvinegra no lugar de Felipe Azevedo.

Logo em seguida, aos 21 minutos, Triguinho (ele mesmo!!) faz boa jogada pela esquerda e cruza na medida para Róbson de cabeça empatar novamente a partida.

Enquanto a torcida peixeira ainda comemorava, Astorga cometia falta em Dagoberto e com a ajuda da barreira que se abriu toda,Rogerio Ceni desempatou novamente o jogo.

O Peixe foi para o tudo ou nada, e criou algumas boas oportunidades, com Róbson, Léo, que acabara de entrar no lugar de Triguinho.

A última emoção para os pouco mais de 8700 pagantes, foi a expulsão do goleiro São Paulino, que entrou de forma criminosa no atacante Jean, e como era o último "Homem"da defesa, teve sua sorte determinada.



Final na Vila Santos 3 x 4 Bambis

Nenhum comentário: